Políticas Institucionais


 Veja abaixo as nossas Políticas Institucionais:

 POLÍTICA DE GESTÃO DA QUALIDADE E SEGURANÇA 

A área de qualidade e segurança monitora sistematicamente os riscos à segurança de pacientes, colaboradores e ambiente. Monitora e gerencia as notificações de eventos adversos e quase-falhas, as 06 metas internacionais de segurança do paciente, a padronização e gestão de documentos, a satisfação dos pacientes, o gerenciamento de risco, as ações de auditoria interna. Promovendo ações de melhoria contínua para todo o processo.
Ver PSP-001- Plano de Segurança do Paciente; NOR-GAD-001 - Controle dos Instrumentos Normativos
 
POLÍTICA DE IDENTIFICAÇÃO DO PACIENTE 

Todo paciente que será submetido a procedimentos cirúrgicos ou de diagnóstico é identificado com a pulseira contendo os dois identificadores (nome completo e data de nascimento). Deverá ser confirmado a veracidade dos dois identificadores em toda abordagem ao paciente. Em caso de criança, os dados deverão ser confirmados pelo responsável. O número de leito não deve ser utilizado como identificador, apenas como localizador.
Ver PRT-DOP-001 - Protocolo de Identificação do Paciente.
 
POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO EFETIVA 

Aprimorar a comunicação efetiva entre a equipe multiprofissional visando qualificar a assistência ao paciente. As solicitações verbais de medicamentos apenas são permitidas em situação de emergência e durante o transoperatório. Para prevenção de erros de comunicação serão utilizadas as técnicas de repetir a solicitação do medicamento no transoperatório, Read-back (ler de volta: leia o que você escreveu) no recebimento de resultados críticos por telefone e a SBAR (S: situação, B: história prévia, A: avaliação, R: recomendação) nos momentos de transição.
Ver PRT-DOP-003 - Protocolo Comunicação Efetiva; ROT-UIN-007- Rotina de Transferência do Paciente para outra instituição.

 POLÍTICA DE GERENCIAMENTO E USO DE MEDICAMENTOS DE ALERTA ALTO 

Garantir o gerenciamento do uso de medicamentos de alerta alto, padronizados na instituição através dos instrumentos que garantem a identificação, armazenamento, dispensação, administração e monitoramento específicos para os medicamentos de alta vigilância e de sons e grafias semelhantes, com intuito de minimizar a ocorrência de erros, com o uso racional destes. Realiza ações preventivas em todas as unidades envolvidas com análise dos processos, avaliando a execução dos padrões estabelecidos. Ver PRT-DOP-004- Protocolo de Medicação de Alta Vigilância; MAN-FAR-001- Manual de Padronização de Medicamentos.
 
 POLÍTICA DE CIRURGIA SEGURA 
 
Possibilitar a realização de procedimentos cirúrgicos conforme planejado, atentando para os 5 certos: paciente, procedimento, lateralidade, posicionamento e equipamento. Garantir a aplicabilidade da Lista de Verificação de Cirurgia Segura em todos procedimentos cirúrgicos como estratégia para reduzir o risco de incidentes.
Ver PRT-DOP-006 - Protocolo de Cirurgia Segura.

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL 
 
O sistema de comunicação atua na criação e execução dos planos e ações internos e externos, que divulgam os serviços prestados pela instituição de forma integrada, transparente e contínua, com informação clara e objetiva,  difundindo o conceito de qualidade e segurança para a melhoria e aprimoramento dos processos e controles internos, com ações que promovam a comunicação efetiva entre os colaboradores, profissionais de assistência, pacientes, familiares, fornecedores, Ver PLA-COM-001 - Plano de Comunicação Institucional.

POLÍTICA DE HIGIENE DAS MÃOS
 
As mãos devem ser higienizadas nos 05 momentos essenciais definidos pelo Ministério da Saúde: antes de tocar o paciente, antes de realizar procedimento assistencial, após o risco de exposição a fluidos corporais ou excreções, após tocar o paciente e após tocar superfícies próximas ao paciente. A instituição deve garantir, nos pontos de assistência, fácil acesso a um dispensador de álcool gel para a higienização das mãos, bem como pias com água e sabão. Ver PRT-DOP-002 - Protocolo de Higiene das Mãos.
 
POLÍTICA DE REDUÇÃO DE INFECÇÕES ASSOCIADAS AOS CUIDADOS DE SAÚDE
 
A instituição implementa um Programa de Controle das Infecções relacionadas a Assistência à Saúde por meio de um sistema de vigilância epidemiológica das infecções do sítio cirúrgico, da padronização de protocolos de prevenção dessas infecções, do treinamento dos profissionais, bem como da adequação do reprocessamento dos produtos médicos utilizados nos procedimentos cirúrgicos. Ver Programa de Controle das Infecções Hospitalares (PCIH) anual.
 
POLÍTICA DE PREVENÇÃO A QUEDAS
 
Todo paciente que será submetido a procedimentos cirúrgicos ou de diagnóstico é avaliado para o risco de queda na consulta de enfermagem pré-operatória ou para realização do exame. Ações de prevenção são implementadas por meio de um processo educativo buscando a participação do paciente e seu acompanhamento com a distribuição da cartilha educativa com dicas para prevenir o risco de queda. Durante a internação, todos os pacientes com risco de queda recebem sinalização de alerta específico em seu leito e no prontuário e são reclassificados quando ocorrem mudanças do seu quadro clínico ou terapia medicamentosa. Ver PRT-DOP-005 - Protocolo de Prevenção de Queda.
 
POLÍTICA DE GESTÃO DE PESSOAS
 
A instituição prima pelos serviços de saúde com segurança, qualidade e humanização, atuando desde a identificação, integração, capacitação, desenvolvimento e remuneração dos seus colaboradores e gestores no intuito de manter profissionais engajados aos princípios institucionais, desenvolvendo boas práticas na segurança e saúde ocupacional, garantindo a aplicação dos requisitos legais. Ver PRO-RHU-001- Recrutamento e Seleção; PRO-RHU-006- Treinamento e Desenvolvimento do Colaborador.
 
POLÍTICA DE GESTÃO DE CUSTOS
 
A instituição desenvolve um sistema de controle financeiro que permite identificar quais componentes podem ser gerenciados de maneira mais efetiva, contribuindo para otimização dos recursos e tomada de decisões estratégicas, visando proporcionar maior integração entre áreas e melhoria de processos para redução de custos, desenvolvimento das pessoas e otimização dos materiais e serviços utilizados.
 
POLÍTICA INSTITUCIONAL DE CONSENTIMENTO INFORMADO E ESCLARECIDO 
 
O termo de consentimento informado e esclarecido é disponibilizado com antecedência a todo e qualquer procedimento cirúrgico, diagnóstico e/ou terapêutico com potencial para causar dano ou agravo à saúde, elucidando ao paciente e/ou responsável quais os riscos, benefícios, e possíveis complicações em consonância com o princípio da autonomia e da dignidade. Ver PRT-DMD-002 - Protocolo de Consentimento Informado e Esclarecido.
 
 POLÍTICA DE DIREITOS E DEVERES DO PACIENTE E FAMÍLIA
 
A instituição reconhece e defende a dignidade fundamental de todos os pacientes e familiares, primando pelo atendimento humanizado, acolhedor e livre de qualquer descriminação, assegurando sua privacidade, individualidade e integridade física, psíquica, social e espiritual, sem distinção de raça, credo, cor, idade, sexo, diagnóstico ou qualquer outra forma de preconceito, seguindo os valores éticos e constitucionais. 
Ver Cartilha de Direitos e Deveres do Paciente.

POLÍTICA DE SEDAÇÃO E ANESTESIA
 
Todo o atendimento a pacientes submetidos a procedimentos cirúrgicos, diagnósticos e ou terapêuticos que necessitem de cuidados anestésicos é prestado por profissionais qualificados e habilitados na prática de anestesiologia, comprometidos com a segurança do paciente, atuando em todas as etapas do processo de avaliação pré anestésica, classificação do estado físico segundo a American Society of Anesthesiologists, monitorização, aplicação da técnica anestésica e recuperação pós anestésica visando a qualidade da assistência prestada.
Ver PRT-DMD-001 - Protocolo de Sedação e Anestesia 
 
POLÍTICA DE GESTÃO AMBIENTAL
 
O hospital visa garantir a sustentabilidade ambiental através de programas e ações que contribuam para preservação do meio ambiente, em consonância com os princípios e valores institucionais reconhecendo a importância e assumindo compromisso de planejamento, implementação e monitoramento para promoção de um ambiente saudável, incentivo à redução na geração de resíduos e redução dos riscos ambientais.

POLÍTICA DE CONTROLE DE ACESSO
 
O Itaigara Memorial tem um controle sobre o acesso e circulação dos funcionários, profissionais de saúde, pacientes, acompanhantes e visitantes, através de registro em sistema, com a utilização de crachás, pulseiras e etiquetas, visando a organização e o melhor direcionamento das pessoas aos serviços e ambientes da instituição. Garantir a qualidade e integridade no âmbito assistencial e patrimonial da instituição no intuito de minimizar ou até extinguir situações de risco. Ver PRT-ACL-001 Protocolo de controle de acesso; Ver ROT-ACL-002-Rotina de Identificação dos acompanhantes e visitantes.
 
POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO
 
O Itaigara Memorial preserva a confiabilidade, integridade e disponibilidade das informações para tomada de decisão, assegurando qualidade do atendimento. Toda a informação institucional está organizada de maneira segura com diretrizes estabelecidas para proteção das informações, devendo ser cumprida por todos os colaboradores no que diz respeito aos direitos e responsabilidades dos recursos da instituição e as informações neles armazenados. 
Ver PRO-TIF-002- Procedimento de Acesso a redes e computadores; Ver PRO-TIF-001- Procedimento da Segurança Física da Infraestrutura da TI e ver PRT-TIF-001 Protocolo de Segurança da Informação 
 
POLÍTICA DE ACESSO E USO DO PRONTUÁRIO DO PACIENTE
 
A instituição garante a guarda do prontuário, identifica os profissionais que podem ter acesso a este, garante a privacidade e confidencialidade da informação, orienta a organização dos prontuários e como deverão realizar os registros, garante o período de arquivamento e como o paciente ou pessoas designadas por este poderão ter acesso ao prontuário. Os pacientes atendidos no IMGH, IMHD I e II, seja em regime de internamento ou ambulatorial, terão um único número de prontuário podendo ter vários números de atendimento. Ver PRT-SAME-001 - Protocolo de Acesso e Uso de Prontuário do Paciente.
 
POLÍTICA DE QUALIFICAÇÃO E AVALIAÇÃO DE FORNECEDORES
 
A instituição estabelece um processo de gestão de qualificação e avaliação de fornecedores através de cadastro, aquisição, qualificação e avaliação dos produtos e serviços, considerando os aspectos administrativos e técnicos, em conformidade com os princípios éticos e legais envolvidos nas etapas de fabricação e comercialização, estabelece uma parceria comercial através de negociação e comunicação transparente, visando sempre que o produto final seja uma assistência prestada ao paciente com qualidade e segurança. Ver PRO-SUP-001-Procedimento de Qualificação e Avaliação de fornecedores de Produtos Críticos; PRO-MAN-001-Procedimento de Qualificação e Avaliação de fornecedores de Serviços Críticos.
 
POLÍTICA DE REPROCESSAMENTO DE MATERIAIS 
 
Todo o reprocessamento de produtos realizado na instituição segue orientações da Comissão de Infecção Hospitalar (CCIH), do Comitê de Processamento de Produtos para a Saúde (CPPS) e do Serviço Especializado de Controle de Infecção Hospitalar (SECIH). A padronização do reprocessamento de artigos utilizados em toda a instituição tem como objetivo reprocessar artigos médicos hospitalares conforme as normatizações da ANVISA; qualificar o reprocessamento dos artigos médicos hospitalares utilizados na instituição, prevenindo infecções veiculadas por estes; assegurar o reuso de artigos médicos hospitalares de forma racional, dentro dos parâmetros de segurança para a instituição e para o paciente; prevenir acidentes ocupacionais para o trabalhador de saúde, durante suas atividades de reprocessamento de artigos médicos hospitalares. Ver PRT-SECIH-002 - Protocolo de Reprocessamento de Artigos Hospitalares
Itaigara Memorial
Itaigara Memorial - Hospital Dia

Rua Altino Serbeto de Barros,119 - Edf. Centro Odonto-Médico Linus Pauling - 3º Andar
CEP: 41.830-907 Itaigara - Salvador - Bahia - Central Telefônica: 71 3453-8500